Da matemática à literatura: as maravilhas nonsense de Lewis Carroll

Charles Lutwidge Dodgson nasceu, em 27 de janeiro de 1832, na Inglaterra. Grande professor de matemática e lógica da Universidade de Oxford, e também fotógrafo, este homem ficou mais conhecido por outra atividade – a literária – e por um pseudônimo: Lewis Carroll.

Carroll era filho do reverendo anglicano Charles Dodgson e foi educado durante toda infância e adolescência numa educação religiosa, que o preparava para ser sucessor do pai. No entanto, o interesse de Carroll pela geometria, álgebra e lógica o levou, como aluno, até à Universidade de Oxford e, posteriormente, em 1855 rendeu um convite para lecionar na mesma Universidade. Carroll permaneceu ali como professor até o ano de 1881.

Sob o nome de Charles Dodgson, publicou vários textos para alunos de matemática e lógica, dentre os quais se destacam The Game of Logic (1887) e Symbolic Logic (1896). Além da atividade docente e da publicação de livros na área, Carroll também aventurou-se como fotógrafo, ficando caracterizado pelas fotos de meninas de 8 a 12 anos.

No entanto foi na Literatura que Charles Dodgson obeteve maior reconhecimento e foi também justamente nas publicações literárias que ele optou por adotar o pseudônimo Lewis Carroll. Nessa seara publicou The Hunting Snark (1876) e Sylvie and Bruno (1889). Seu maior legado, contudo, foi escrito um pouco antes e publicado em 1865: Alice no país das maravilhas. Um outro conto, envolvendo a mesma personagem principal, Alice, foi publicado em 1871: Alice através do espelho. Será sobre esses dois contos que os membros do Sempre um Livro discutirão no próximo encontro, em setembro. E falar um pouco do surgimento e recepção deles é também falar da biografia de Carroll.

Um dos grandes amigos de Lewis Carroll foi Henry Liddell. Ele era pai de três meninas, Alice, Lorina e Edite. Através da primeira das filha de Liddell que Carroll iniciou a escrita daquela que viria a ser uma das obras literárias mais conhecidas, adaptadas e discutidas. Os enigmas, imagens, conflitos e personagens presentes nos contos de Alice, desde sua publicação, não receberam uma classificação estrita que os coloque no público infantil, infanto-juvenil ou adulto. É, literalmente, uma história para todos os públicos. E reflete, além desse dado biográfico da filha de Liddell, as vontades de Carroll de colocar, também no plano literário, o seu enorme gosto e interesse pela lógica, pelos enigmas e também – e nisso talvez resida um dos principais aspectos da obra, a ser trabalhado posteriormente – o caráter nonsense, a dimensão onírica que fazem dos contos de Alice algo que transcende uma mera lição de moral, dando aos leitores muito o que pensar e refletir.

Carroll também construiu vários enigmas de lógica, que ficaram famosos na Inglaterra de sua época. Um exemplo é o seguinte:

Construa uma palavra com estas letras: NOR DO WE

Solução: ONE WORD

Entre enigmas, livros e fotos, Carroll faleceu em 14 de janeiro de 1899, em Guilford, Inglaterra.

REFERÊNCIAS

http://thebloggerwocky.wordpress.com/2011/11/11/como-surgiram-as-aventuras-de-alice-e-quem-foi-lewis-carroll/

http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/alice/lewis_carroll.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s